vidas passadas

A minha vida noutras vidas

Vidas passadas…

Preciso mesmo falar consigo. É sobre aquilo das vidas passadas…”

Então…? Questionei eu. Foi um “então” que o incitava a desenvolver o assunto.
Hum…. (Continuo a esperar que diga o que lhe vai na alma…)
Pois, fui a uma senhora na semana passada. E não é que ela me disse que na vida passada fui um padre? A partir daí tenho andado desanimado, a sentir-me culpado, olhe nem sei….
Um padre?, perguntei eu.
Sim. Vivia num convento, dormia com as freiras todas, até fiz um filho a uma, pelos vistos. Parece que eu era mesmo um grande filho da mãe…
Arregalei os olhos esperando o desenrolar da história.
E numa batalha qualquer, entreguei os monges todos para me salvar. Foi uma chacina dos diabos.
Estou a ver, disse eu.
Sei que trabalha com estas coisas. É que nem sei o que hei-de fazer agora.

A possibilidade de ter vivido outras vidas, antes desta, faz sentido para si? perguntei eu.

Respondeu-me com um “Faz, Drª.”
E se acredita que viveu outra vida, terá sido, em toda a eternidade, só esse monge sacana, ou terá sido mais alguém?
Não sei. Se calhar fui outra coisa qualquer…
E se tivesse sido freira? Professor universitário, médico, pedreiro, lojista, condutor de charrete, costureiro, calceteiro, agricultor?
Pois eu não sei! Mas provavelmente terei sido esses todos… E como é que eu sei? Se calhar fui muitas coisas….
E esses inúmeros personagens que foi, terão sido sempre, sempre, sempre maus? Perguntei eu.
Acho que não. Não faz sentido., disse ele.
Então, provavelmente, também desempenhou bons papeis… provavelmente foi homem, mulher, adulto, criança, rico, pobre, bom, mau…
Sim, claro!

Então poderá ter vivido p´rá aí umas 573 vidas antes destas… e se assim tivesse sido, lembrar-se-ia delas? Não! acho que não Drª!

Então qualquer pessoa poderá dizer-lhe que viveu uma vida qualquer e o Luís não poderá confirmar nem desmentir isso, certo?
Já sei onde quer chegar, Drª! Afinal não tenho motivos para me preocupar…
Olhe, acho que a doutora foi adivinha na vida passada. Ah ah ah ah ah ah